Talvez influenciados por ideologias de grandes gurus da tecnologia tais como Steve Jobs, Elon Musk, Larry Page, Bill Gates, entre muitos outros existe uma nova geração de empreendedores a nascer em todo mundo.

Portugal não é exceção, no nosso país existem muitas startups que nasceram através da influêcnia do sucesso de filantropos, startups idolatradas a nivel nacional e ainda de empresários de sucesso.

Viemos falar com a Codify, uma empresa de jovens empreendedores que programa para iOS (e não só).

1) Quem é a Codify? Porque nasceu a necessidade de criar esta startup?

Na realidade não somos uma startup, pois uma startup caracteriza-se por ter um produto/serviço assente num modelo de negócio para o qual procura replicar e validar os seus conceitos em diferentes mercados. A Codify é uma consultora de software, que possui parcerias com gabinetes de design, capaz de entregar soluções “chave na mão”, desde o levantamento de requisitos, passando pelo design gráfico da solução, até à sua implementação e validação.
Graças ao nosso background, onde alguns elementos da equipa tiveram oportunidade de criar as suas próprias startups, foi-nos possível ter contacto com muitas outras startups, participação em eventos como o WebSummit, realização de pitch a investidores e até mesmo ter contacto com o software usado internamente em grandes empresas nacionais. Especialmente devido ao último ponto mencionado, apercebemos-nos de bastantes debilidades no software que ainda é usado internamente em muitas empresas: tecnologia muito antiga; interface muito pouco intuitiva; software lento e nada flexível. Foi aí que tivemos a noção de que tínhamos uma vantagem sobre o mercado e decidimos aplicar todos os nossos esforços na criação da Codify. Usando tecnologias e técnicas mais modernas, conseguimos produzir software mais interessante em vários aspectos, o que se traduz num aumento de produtividade e organização nas empresas que nos contratam. Fundimos os objetivos dos negócios com as necessidades dos seus clientes, através do desenvolvimento de sites, aplicações web, soluções e-commerce e aplicações móveis nativas (iOS e Android).

2) Falem-nos um pouco do vosso trabalho, que apps já nasceram da vossa empresa?

Todo o trabalho que fazemos pode ser resumido em 3 palavras: Simplicidade, Inovação e Paixão. Logo desde o momento da conceção do projeto, são realizadas várias abordagens iterativas por forma a construir um design fácil de compreender e usar. Depois de o design estar validado, estudamos quais são as tecnologias mais indicadas para o projeto em questão, onde tentamos sempre inovar, aplicando as tecnologias mais recentes que se traduzem em resultados mais apelativos a nível gráfico bem como soluções com elevada performance. Uma vez escolhida a tecnologia a adotar, chega o momento de aplicarmos a nossa paixão no desenvolvimento da solução. É graças a esta paixão, que aplicamos em tudo o que fazemos, que criamos soluções que as pessoas realmente gostam e que nos deixam orgulhosos.

O nosso grande foco é em software empresarial e aplicações móveis, pois foi aqui que encontrámos uma maior necessidade de mercado.
Entre os nossos clientes encontra-se uma marca de roupa nacional conceituada (Susanagateira), que não quis ficar atrás das marcas internacionais e decidiu avançar com um catálogo mobile que podem encontrar aqui.
Para além desta aplicação, podemos destacar outras duas de um cliente internacional:

Chat Find

ViralVote

Temos também experiência no desenvolvimento de aplicações Web, onde podemos destacar o desenvolvimento de um projeto para uma empresa de caixilharias de alumínio. Esta usava internamente vários sistemas distintos, desperdiçando-lhes imenso tempo e decidiu criar uma plataforma web global para gerir clientes, orçamentos, produção e faturação.

3) Na apresentação do vosso site tem uma frase que interpretamos como sendo o vosso lema: “work smarter not harder”. Aplicam isto na prática?

Para nós, produtividade e planeamento são duas vertentes em que investimos bastante e que nos permite ser mais eficientes no nosso trabalho.

Para nós é essencial planearmos o projeto por forma a detetarmos quais os problemas que poderemos encontrar e o que faremos para resolver esses mesmos problemas. No desenvolvimento de tecnologias, pode ser a diferença entre a sobrevivência de uma empresa e o seu sucesso.

Se ao bom planeamento aliarmos a capacidade que temos em trabalhar com um vasto leque de tecnologias, conseguimos realizar projectos complexos num curto espaço de tempo, o que por si só já permite optimizar recursos. Desta forma, quanto menos tempo dispendermos no desenvolvimento de aspectos cruciais, maior será o foco na satisfação dos nossos clientes.

Como dizia Steve Jobs, se dermos as ferramentas/tecnologias certas a pessoas inteligentes elas irão fazer coisas fantásticas com elas.

4) Sendo programadores para dispositivos Apple, certamente que estiveram atentos à keynote onde foram apresentados os novos produtos. O iPhone 8, 8 Plus, iPhone X e até os novos modelos do Apple Watch. Qual o vosso veredicto em relação aos novos produtos?

Apesar de sermos apreciadores de produtos Apple, não nos consideramos ‘apple fan boy’. Dito isto, temos a perfeita noção que nem tudo o que a Apple apresentou nesta última Keynote foi tão inovador como tanta gente profetiza. Sendo um pouco irónico, achamos que a equipa de marketing da Apple se equivocou no nome dado ao iPhone 8 e 8 Plus, porque na realidade deveriamos ter visto o lançamento do iPhone 7S e do 7S Plus. A nível de design poucas ou nenhumas diferenças há relativamente ao 7. Por outro lado, temos de tirar o chapéu ao novo processador desenvolvido pela Apple. A performace do processador A11 Bionic (que equipa os 3 novos iPhones que foram lançados) é assombrosa quando comparada com os seus concorrentes mais diretos. Acreditamos que em 2018 o Snapdragon (que equipa bastantes equipamentos Android) terá de se esforçar bastante para recuperar terreno. O outro ponto a realçar é a câmara, que segundo os últimos testes realizados é a melhor que alguma vez equipou um smartphone sendo até melhor que o Pixel (que ocupava a primeira posição).

Falando do iPhone X, aqui é onde poderemos dizer que a Apple foi mais arrojada. O ecrã de grandes dimensões aliado ao bom processador e à câmara de grande qualidade, em conjunto com o ARKit poderá trazer para a ribalta boas aplicações de realidade virtual. Quanto ao Apple Watch, achamos interessante terem finalmente introduzido a tecnologia LTE em alguns dos seus modelos por forma a tornar o relógio praticamente independente

do smartphone. Ainda assim, não vemos os smartwatches como algo que seja realmente uma mais valia no dia-a-dia.

5) Já programaram para Apple Watch? Se sim, quais as principais dificuldades que encontraram?

Ainda não.

6) Falando em programação naturalmente que temos de falar em linguagens. Já utilizaram o Swift?

Dos 3 projetos mobile acima mencionados, 2 deles foram desenvolvidos em Objective-C (Susanagateira e Chat Find) enquanto o outro foi desenvolvido em Swift (Viral Vote).

Apesar da nossa experiência em objective-c ser mais aprofundada, optámos por começar a utilizar Swift não só por ser mais limpo e fácil de manter mas também porque acreditamos que a Apple se irá focar mais sobre esta linguagem no futuro.
Se será uma linguagem mais relevante, só o tempo dirá, mas claramente tem potencial, principalmente se ganhar relevo noutras áreas para além da mobile.

7) Acham que a tecnologia existe no iPhone X será um marco para a próxima década?

O futuro está ainda um pouco nublado, mas acreditamos que haverão 2 pontos chave que poderão fazer a diferença. Por um lado teremos de esperar para ver o que é que os programadores serão capazes de fazer com o ARKit e que aplicações de realidade virtual chegarão ao mercado. O segundo ponto que poderá tornar os novos iPhones realmente superiores à concerrência é o novo processador A11 Bionic. A temática de inteligência artificial nunca esteve tanto em voga e com um processador tão potente como este, será uma questão de tempo até vermos aplicações móveis tirar proveito disso mesmo por forma a apresentarem algoritmos de inteligência artificial com resultados cada vez mais impressionantes, permitindo a empresas como a Codify explorar novos campos de desenvolvimento.

Vejam mais entrevistados pelo Futuro é Mac nesta página.

COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *